quinta-feira, 20 de Março de 2014

Filme Frozen: O Reino do Gelo

14 de abril| Pequeno Auditório | 16 00 e 21h30
Entrada: livre à lotação da sala
Filme  Frozen: O Reino do Gelo
Título original: Frozen
De:Chris Buck, Jennifer Lee

Com: Kristen Bell (Voz), Alan Tudyk (Voz), Idina Menzel (Voz)
Género:
Animação, Comédia
Classificação: M/6
Outros dados:EUA, 2013, Cores, 108 min.
Há algum tempo, um terrível incidente condenou o reino de Arendelle a um Inverno sem fim. Nesse reino triste e frio vive a princesa Anna que, apesar das circunstâncias, tem um carácter optimista que a faz acreditar que nem tudo está perdido. Assim, decidida a não se deixar abater seja pelo que for, embarca numa longa viagem para encontrar a sua irmã Elsa, a Rainha das Neves que, com os seus poderes sobre o gelo e a neve, foi a causadora de tudo e é a única que pode reverter a situação. Ao seu lado vai a sua amiga rena, um carismático boneco de neve e Kristoff, um jovem campónio cheio de boas intenções. Mas serão eles capazes de sobreviver à tempestade e regressar com Elsa a tempo de salvar o reino?

Com argumento e realização de Chris Buck e Jennifer Lee, um filme de animação computorizada que nos chega dos estúdios Walt Disney Animation e que se inspira no célebre conto "A Rainha da Neve", escrito há mais de um século por Hans Christian Andersen.

Casa das Artes e a envolvente

Casa das Artes e a envolvente
Patinho Feio
 Jangada teatro
Teatro musical com marionetas
28 de abril  |Freguesia de Esmeriz |Cabeçudos | Casa de Esmeriz |14h00
29 de abril | Freguesia Lousado |Mundos de Vida|14h30
30de abril |Freguesia do Louro |Auditório da Igreja |10h30 e 15h00
M/4
Duração Aprox.: 45 min

 Era uma vez um ovo. Desse ovo nasceu um patinho diferente dos outros patinhos. Por isso, todos o maltratam e lhe chamam feio. Cansado de tanta humilhação, foge da Quinta onde nascera, cantando o seu infortúnio. Abandonado e triste vai caminhando o resto do verão, passando pelo outono, até enfrentar sozinho o rigoroso frio do inverno. Chegada a primavera, o patinho ao olhar-se nas águas do lago percebe que já não é aquela ave feia de que todos zombavam; é agora um cisne.

Este Patinho Feio, inspirado no universo da Banda Desenhada, é reproduzido para a cena onde se fundem pictoricamente o 2D das marionetas com o 3D dos atores, numa simbiose perfeita com a música e o canto ao vivo.

A partir de | Hans Christian Andersen
Dramaturgia e Encenação | Luiz Oliveira
Interpretação | Cláudia Berkeley; Luiz Oliveira e Vítor Fernandes
Música Original e Pianista | Ricardo Fráguas
Bonecos | Luiz Oliveira
Cenografia | Xico Alves
Figurinos | Susana Morais
Construção de cenografia e adereços | Joaquim Cunha
Confeção de figurinos | Rita Bragança

Desenho de Luz | Nuno Tomás

VI MOSTRA DE TEATRO ESCOLAR DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

VI MOSTRA DE TEATRO ESCOLAR DE VILA NOVA DE FAMALICÃO
28, 29, 30 de abril e 1 de maio de 2014
Serviço Educativo da CASA DAS ARTES
Entrada livre

Inserida na Quinzena da Educação e pelo sexto ano consecutivo, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através dos Serviços Educativos da Casa das Artes, realizará a VI Mostra de Teatro Escolar. Este evento tem como objectivo primordial promover, apoiar, e valorizar as iniciativas artísticas e culturais, divulgando o trabalho desenvolvido, no campo teatral, pelas instituições educativas do nosso concelho.
Através deste evento, pretende-se, ainda, incentivar a arte do teatro entre os jovens alunos e, ao mesmo tempo, enriquecer o conhecimento daqueles que apostam nesta área.
As peças de teatro são muito diversificadas para o público em geral e para todos os níveis de ensino.
Este ano participam nesta mostra os Grupos de Teatro Escolar:

Duques e Cenas – Agrupamento de Escolas de Ribeirão
Grupo de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Ribeirão
Oficina de Teatro do Agrupamento de Escolas de Pedome
Núcleo de Teatro da Didáxis de S. Cosme e Riba de Ave
Oficina de Leituras Encenadas do Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado
ENSAIAR-TE – Agrupamento de Escolas D. Sancho I
TEINA – Teatro Experimental do INA
Grupo de Animação Sociocultural da Escola Profissional CIOR

Curso Profissional de Artes do Espetáculo/Interpretação/ Escola de Teatro- Externato Delfim Ferreira

SOUNDMAKER

SOUNDMAKER
Música/ Alternative/Trip hop experimental
26 de abril  | sábado|23h00 | café concerto
Entrada: 5 euros / Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 2.5 Euros
M/3
Duração: 70 m
Depois do EP homónimo, apresentado em 2012, os SoundMaker, projecto com sonoridades próximas do trip-hop, lançaram em finais de 2013 o primeiro álbum intitulado “Soundscape”.
Liderada pelo compositor e multi-instrumentista Samuel Coelho, a banda é composta por músicos provenientes de diferentes universos musicais e tem levado a cabo uma viagem de afirmação da sua identidade sonora.
As dez músicas que compõem “Soundscape” levam-nos numa viagem ao mundo interior da fantasia, através de paisagens sonoras que surgem de uma conjugação arrojada de subtilezas - as melodias oníricas do violoncelo, o exotismo da voz, com os rítmos fortes e contagiantes da bateria, os detalhes das electrónicas, do tenori-on e de outras fontes geradoras de som - na harmonização de uma sinfonia de sensações.
Os SoundMaker lançam em 2014 o vídeoclip oficial (Strange Place), com produção do Estúdio Lobo Mau e montagem de Jaime Silva.

Vencedores do “FundaSound” – 4ª Mostra de Música Pop de Guimarães, (Capital Europeia da Cultura 2012), vale a pena seguir de perto os SoundMaker!

Comemoração do Dia Mundial da Dança - Uma Semente Real

Comemoração do Dia Mundial da Dança
Uma Semente Real
Este é um bailado inspirado no conto de Hans Christian Andersen “A Polegadazinha”
Dança/ ALÉMDADANÇA
26 e 27  abril | sábado 21h30 | Domingo 18h00|| grande auditório
Entrada: 6 euros/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 3 Euros
M/12
Duração: 60 m

É uma história sobre uma mulher solitária e muito triste que sempre quis ter uma filha e não conseguia. Procurou a feiticeira boa da floresta, que lhe deu uma semente mágica. Esta semente que é a verdadeira semente do amor transforma-se numa bela flor. Dessa flor surge a Polegadazinha, uma menina pequenina do tamanho de um polegar, com um sorriso meigo e uma bela voz.
Polegadazinha é uma menina muito feliz com a sua mãe...mas a verdade... é que pertence ao reino das flores e das fadas, e, também ela, gostaria de encontrar alguém do seu tamanho com quem pudesse partilhar a sua vida além da sua mãe.
Eis que se desenvolve assim o nosso bailado com inúmeros momentos fascinantes e mágicos que preenchem o nosso coração com esta história de Amor incondicional.
Incondicional é também a dedicação a este espetáculo por todos o que nele participam desde os bailarinos, aos professores e coreógrafos e assim como todos os que colaboram de inúmeras e variadas maneiras na concretização deste projeto artístico e criativo. É uma entrega verdadeiramente profissional e de coração.
Estamos verdadeiramente gratas pela grande responsabilidade que nos foi dada pela comemoração do Dia Mundial da Dança em Vila Nova de Famalicão e na Casa das Artes. Estamos cientes do tamanho do desafio e da confiança que nos foi entregue.
Estaremos em palco com verdadeira entrega e paixão! Este momento é também a oportunidade de fazermos o que mais gostamos na nossa vida!
DANÇAR !!!
DANÇAREMOS PARA TODOS VÓS!

Concepção: ALÉMDADANÇA
Direcção Artística: Neuza Rodrigues
Coreografias: Neuza Rodrigues,Sara Ferreira e todos os bailarinos intervenientes
Cenografia e Figurinos: Neuza Rodrigues,Sara Ferreira,Isabel Carvalhal e Ana Luísa Peixoto
Bailarinos: Todos os alunos da ALÉMDADANÇA

Co-produção: Casa das Artes de V.N. de Famalicão e ALÉMDADANÇA

Concerto de Páscoa - Paixão segundo São João, BWV 245 de J. S. Bach (1685-1750) - Famalicão

Concerto de Páscoa
Paixão segundo São João, BWV 245 de J. S. Bach (1685-1750)
Concerto inserido na programação da Semana Santa de Vila Nova de Famalicão.
Música Coral Sinfónica
16 de abril| quarta-feira |21h30 | Igreja Nova Matriz de Famalicão
Entrada: livre
M/3
Duração: 100 m
 Obra-prima do Barroco, a Paixão segundo São João de J.S. Bach constitui uma das mais extraordinárias representações dramáticas da Paixão de Cristo segundo o o Evangelho de São João. Envolta em polémica, a Paixão segundo São João foi apresentada pela primeira vez em Lepzig, no dia 7 de Abril de 1724.
Fundados pelo Cónego dr. Ferreira dos Santos, o Coro Polifónico da Lapa e a Orquestra Sine Nomine, sob a orientação do seu maestro titular Filipe Veríssimo, constituem, atualmente, uma das maiores referências nacionais no âmbito da música Sacra/Litúrgica.

Intérpretes:
Coro Polifónico da Lapa
Orquestra Sine Nomine

Solistas:
Alexandra Costa, soprano
Mariana Araújo, soprano
Cristina Pamplona Meireles , meio-soprano
Sérgio Ramos, Pedro/Pilatos
João Terleira, Evangelista
Valter Mateus, Jesus

Filipe Veríssimo, direcção

Sobre a culpa…

Sobre a culpa…
Baú dos Segredos 
Teatro
15 de abril | terça-feira| 15h00 e 21h30 | grande auditório
Entrada: 3 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 1.5 Euros
M/12
Duração: 70 m

SINOPSE

Um fantasma...
Um fantasma persegue-me pela rua deserta...
Escondo-me no fundo da garrafa... no meu santuário!
As horas ficam mais leves à medida que o copo se esvazia...
Ligo a Tv!
Um cansaço inoportuno invade-me tolhendo os meus sentidos...
Pesam-me as pálpebras molhadas pela chuva que caia lá fora...
Nascendo das sombras que inundam a sala, o maldito reaparece para me assombrar...
Entrego-me... deixo-me afundar nos meus pesadelos!

FICHA TÉCNICA
 ENCENAÇÃO - Tiago Regueiras & Ana J. Regueiras
ELENCO - Alunos da Classe B do Baú dos Segredos
ASSISTÊNCIA DE ENCENAÇÃO- João Regueiras
FIGURINOS & CARACTERIZAÇÃO- Cármen Regueiras, Emília Silva, Sofia Silva & Marta Silva
DESIGN DE LUZ - Ana J. Regueiras & Tiago Regueiras
LUZ & SOM - Equipa Técnica da Casa das Artes de Famalicão
DESIGN GRÁFICO  - Catarina Costa

PRODUÇÃO- João Regueiras /Casa das Artes

terça-feira, 11 de Março de 2014

Peter Hook & The Light em Famalicão | Casa das Artes


Peter Hook & The Light
Peter Hook & The Light trazem ao nosso país o espetáculo que homenageia a memória dos Joy Division. O baixista e co fundador da mítica banda de Manchester revisita os 2 álbuns de estúdio dos Joy Division: Unknown Pleasures (1979) e Closer (1980).

11 de abril| sexta-feira| 22h00| grande auditório
Entrada: 20 Euros/ Cartão Quadrilátero Cultural: 10 Euros
M/3
Duração: 100 m
Peter Hook, que esteve desde o início ao lado de Bernard Sumner na aventura Joy Division e que foi uma figura central nos New Order depois do trágico suicídio de Ian Curtis em 1980, ajudou a transformar o baixo num instrumento icónico, graças a um estilo muito peculiar, mais melódico do que o usual.

A banda The Light – que tocou na inauguração do clube FAC 251, instalado no antigo quartel-general da mítica Factory, em Manchester, que inspirou Control - filme iluminador do caminho de inúmeros grupos por todo o globo – será o veículo para uma viagem de celebração dos Joy Division, que fizeram de Closer e de Unknown Pleasures autênticos tratados pop carregados de melancolia, de dor e de paixão.

We Trust + Orquestra Artave na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

We Trust + Orquestra Artave
"Concerto de celebração do final das gravações do segundo disco de originais"
Concerto único na Casa das Artes de Famalicão.
5 de abril | sábado| 21h30 | Grande Auditório
Entrada: 10 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 5 Euros
M/3
 Duração: 70 m


"WE TRUST, projecto criado por André Tentugal em 2011 rapidamente se tornou uma referência no panorama musical português. Com singles que povoaram o airplay nacional que são hoje parte da memória de todos, o projecto percorreu o país em concertos e actuou em alguns dos maiores festivais de música nacionais tais como Optimus Alive, Optimus Primavera Sound, Vodafone Paredes de Coura ou Vodafone Mexefest, recebendo rasgados elogios pelas contagiantes performances da banda ao vivo.
Com toda esta rápida e intensa vivença, André Tentugal compôs um disco voltado para as pessoas. Surge assim uma homenagem, uma voz comum e um conjunto de canções que tendem a tornar a experiência ao vivo em algo intimamente partilhado, onde o público é também ele próprio voz do espectáculo.
O disco tem a participação especial da Orquestra ARTAVE que gentilmente acedeu ao convite de André para gravar e partilhar esta nova fase do projecto.

Em celebração do final das gravações, WE TRUST junta-se à Orquestra ARTAVE para um concerto único na Casa das Artes de Famalicão onde alguns dos temas novos serão apresentados e temas antigos serão revisitados"

O Quebra-nozes

O Quebra-nozes 
 Baú dos Segredos 
Teatro
4 e 10 de abril | sexta-feira e quinta-feira|21h30 | grande auditório
Entrada: 3 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 1.5 Euros
M/6
Duração: 70 m

SINOPSE
Noite de Natal.
Clara e Fritz esperam ansiosamente a chegada da família...
Um presente inesperado dará origem a uma viagem mágica: uma batalha feroz por um reino, uma floresta encantada e um país onde a palavra “doce” impera.

FICHA TÉCNICA
ENCENAÇÃO Ana J. Regueiras & Tiago Regueiras
ELENCO  Alunos da Classe A do Baú dos Segredos
ASSISTÊNCIA DE ENCENAÇÃO  Catarina Costa
FIGURINOS & CARACTERIZAÇÃO  Cármen Regueiras, Emília Silva, Sofia Silva & Marta Silva
DESIGN DE LUZ  Ana J. Regueiras & Tiago Regueiras
LUZ & SOM     Equipa Técnica da Casa das Artes de Famalicão
DESIGN GRÁFICO  Catarina Costa

PRODUÇÃO João Regueiras / Casa das Artes

Opus 6 - Companhia de Música Teatral

Opus 6
Opus 6 é uma peça músico-teatral dirigida à infância
Companhia de Música Teatral
3 de Abril| Centro Escolar | Freguesia de Ribeirão
4 de abril  |Pequeno auditório |Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão
10h00, 11h00 e 14h30
Máximo de 25 meninos (as) por turno (Inscrição Prévia)
Duração: 40 m

Opus 6 é uma peça músico-teatral dirigida à infância, especialmente concebida para estimular os sentidos e a comunicação dos mais pequeninos. Opus 6 leva-nos ao Mercado dos Sons - um lugar mágico onde os viajantes vão à procura do que une as palavras, os tambores e os gamelões. Entre a dança e a música, os mercadores fazem trocas de sílabas e fonemas e partilham com os mais pequeninos as suas mais recentes aquisições sonoras. Todos se encantam com o nascimento de novos espécimes musicais!
Esta obra faz parte do Peça a Peça, um ciclo de peças de música-teatral concebido no âmbito do Projecto Opus Tutti para chegar a mais crianças, através de apresentações em teatros, creches, jardins de infância e outros equipamentos sociais.
Linguagem principal: música (voz e percussão) e movimento.

Intérpretes: Joana Veiga e Jorge Oliveira
Concepção e Produção: Companhia de Música Teatral
Apoio: DGArtes e Fundação Calouste Gulbenkian/Opus Tutti
Opus Tutti

Opus Tutti é um projecto educativo e artístico que tem como finalidade a criação de boas práticas dirigidas à infância e primeira infância. É uma parceria da Companhia de Música Teatral e do Laboratório de Música e Comunicação na Infância (LAMCI – CESEM) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (UNL). Tem o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

segunda-feira, 10 de Março de 2014

X Bienal de Pintura do Eixo Atlântico
De 1 a a 27 de abril1, Foyer | Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

A realização da X Bienal de Pintura do Eixo Atlântico constitui um apoio à criatividade e inovação, sendo um espaço privilegiado para explorar as opções criativas dos artistas e valores da Região do Norte de Portugal e da Galiza integrada no espaço do Eixo Atlântico.
Serão expostas 28 trabalhos de pintura de artistas do Norte de Portugal e da Galiza.

terça-feira, 11 de Fevereiro de 2014

Harmos em Vila Nova de Famalicão


Festival HARMOS-Classical

Vila Nova de Famalicão 
28 de Março |21h30 | Pequeno auditório 
Musikhochschule Lübeck – Alemanha
Analogue Ensemble
Daniel Abrunhosa | violino
Sina Lützenkirchen | violoncelo
Christine Pöche | flauta
Roman Gerber | clarinete
Yuye Yang | piano
David Cariano Timme | percussão
 
 29 de Março |19h00 | Pequeno auditório
Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Porto – Portugal
KONTAKTEduo
Patrícia Martins | piano
Carlos Puga | percussão

Nas fronteiras entre o teatro e o cinema, baseia-se no tríptico Luzes da cidade, O grande ditador e Luzes da ribalta, de Charles Chaplin.

A Elegante Melancolia do Crepúsculo
Teatro/cinema
29 de março  | sábado|21h30 | Grande Auditório
Entrada: 8 euros / Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 4 Euros
 M/12 / Duração: 1h20m (aprox.).
Sinopse: A Elegante Melancolia do Crepúsculo, que interpela (e transpõe) as fronteiras entre o teatro e o cinema, baseia-se no tríptico Luzes da cidade, O grande ditador e Luzes da ribalta, de Charles Chaplin: três marcos da História do cinema, que constituem três exemplos máximos do seu génio e nos quais o célebre realizador fala da vida, do amor, da sobrevivência e da solidariedade. Calvero, o derradeiro personagem de Chaplin procura, como o Fausto de Goethe, a juventude perdida através da memória musical.
Neste projecto com dramaturgia de Roberto Merino, centro-me na relação entre estas duas áreas de criação; teatro/cinema, com o objectivo de despertar no espectador duas percepções da ação: a imediata vista pelo público no momento em que a ação decorre e a vista em projeção. Os atores contracenam com a tela, entrando e saindo da mesma, em presença corporal e virtual por esta forma multimédia, é como se o dispositivo cénico estivesse dentro do olhar de uma câmara. Também a música está presente em todo o espectáculo, à semelhança do cinema mudo, o piano narra a ação como se de um segundo texto se tratasse. Na criação dos curtos filmes que acrescem ao texto escrito, participam enquanto figuração especial funcionários e colaboradores do Cine Teatro Constantino Nery e do Departamento da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos oferecendo a este projecto um sentimento genuíno de partilha.
Luísa Pinto
*As cenas dos filmes foram filmadas em Matosinhos
FICHA ARTÍSTICA
Encenação Luísa Pinto
Dramaturgia Roberto Merino
Direção Musical Bernardo Soares
Interpretação Isabel Carvalho, João Costa e Valdemar Santos
Músico Bernardo Soares
Conceito e Dramatização Vídeo Luísa Pinto
Cenografia Graça Diogo
Figurinos Elisabete Pinto
Desenho e Operação de Luz Bruno Santos
Vídeo, Imagem Promocional, Grafismo e Operação Miguel Santiago Miranda
Sonoplastia e Operação Pedro Lopes Moreira
Assistente de Encenação Raquel Coelho
Produção Executiva e Coordenação Gráfica Joana Filipa

Produção Cine Teatro Constantino Nery / Câmara Municipal de Matosinhos

THE TRAP na Casa das Artes

THE TRAP
de MARIANA TENGNER BARROS / EIRA
Espectáculo vendedor do prémio Europeu de Jovem \Coreografia- PRIX JARDIN D'EUROPE 2013 - AUDIENCE AWARD
Dança
22 de março  | sábado|21h30 | Grande Auditório
Entrada: 8 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 4 Euros
M/12
Duração: 80 m
A galardoada bailarina e coreógrafa Famalicense, Mariana Tengner Barros vai apresentar THE TRAP na Casa das Artes em Famalicão. Naquele que foi o espectáculo vendedor do prémio Europeu de Jovem Coreografia- PRIX JARDIN D'EUROPE 2013 - AUDIENCE AWARD atribuído pelo público no âmbito da 30ª edição do ImPulsTanz - Vienna International Dance Festival em Viena - Áustria, Mariana Tengner Barros habita os "corpos do velho glamour ' - divas do cinema e estrelas burlescas do nosso passado - para ter uma conversa com Deus sobre a arte e os mercados financeiros numa peça onde as coisas nunca são realmente o que parecem ser.

Direcção, concepção e interpretação: MARIANA TENGNER BARROS | Consultoria artística: MARK TOMPKINS | Assistência à criação: ANTÓNIO MV e NUNO MIGUEL | Video: ANTÓNIO MV e MARIANA TENGNER BARROS | Textos: MARIANA TENGNER BARROS e NUNO MIGUEL | Figurinos: ANTÓNIO MV | Cenografia: NUNO MIGUEL, ANTÓNIO MV e MARIANA TENGNER BARROS | Música Original: FILIPE LOPES | Apoio dramatúrgico:  JOÃO MANUEL DE OLIVEIRA | Produção: EIRA

ONE MAN ALONE - estreia

ONE MAN ALONE - estreia
Coprodução Teatro da Didascália e Casa das Artes de Famalicão
Teatro
20 e 21 de  | quinta e sexta|21h30 | pequeno auditório
Entrada: 5 euros/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 2.5Euros
M/12
Duração: 60 m

One man alone é um espetáculo a solo, literalmente a solo. Sem contracena, nem operador de luz nem som, o ator vê-se assim obrigado a prosseguir o seu espetáculo interpretando e operando ao mesmo tempo a própria luz que o ilumina e a música que acompanha a cena.

Tudo acontece numa padaria, naquelas horas da noite em que o padeiro faz pão e o resto do mundo sonha com ele. A ação desenrola-se através do jogo entre o padeiro rodeado por baguetes, papo seco, broas de milho, os seus instrumentos de trabalho e os sonhos que o fazem viajar pelo universo da imaginação e o catapultam para um mundo só seu, a altas horas da noite, e que o acompanham no amassar do pão. Talvez por uma necessidade de escape ele sonhe acordado. Talvez seja esse o fermento que faz crescer o seu pão.   

Todo o espetáculo assenta no virtuoso jogo físico do ator, na capacidade de se multiplicar nas várias personagens que dão vida às suas fantasias, nas várias funções do seu ofício, e na sua capacidade de surpreender através dum espetáculo onde a magia é aliada da simplicidade.

Ficha Artística
Criação, interpretação e cenografia: Bruno Martins
Direção: Sérgio Agostinho
Figurinos: Joaquim Azevedo
Desenho de luz e som: Bruno Martins e Valter Alves
Design Gráfico: Rui Verde

Coprodução Teatro da Didascália e Casa das Artes de Famalicão

Rui Veloso na Casa das Artes de Famalicão

Rui Veloso Trio
Na companhia dos músicos Alexandre Manaia e Berg
14 e 15 de março| sexta-feira e sábado|21h30 | Grande Auditório
Entrada: 20 EUROS/ Cartão Quadrilátero Cultural: 10 Euros
M/3
Duração: 80 m
Rui Veloso apresenta o seu espectáculo em trio na Casa das Artes de Famalicão, nos dias 14 e 15 de Março.
Na companhia dos músicos Alexandre Manaia e Berg, Rui Veloso apresenta, num formato intimista e de grande cumplicidade entre músicos e público, os seus grandes êxitos e outros temas que há muito não sobem a palco. Tudo grandes canções, até porque só as grandes canções resistem a tal ‘nudez’.

 Uma oportunidade única para ouvir as grandes canções de Rui Veloso como nunca as ouviu.

Opus I - Casa das Artes e envolvente.

Opus I
Opus 1 é uma peça músico-teatral dirigida à infância, concretamente aos meninos (as) de três anos.
Companhia de Música Teatral
13 de março |Fundação Castro Alves |Freguesia de Bairro
14 de março |Pequeno auditório |Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão
10h00, 11h00 e 14h30
Máximo de 25 meninos (as) por turno (Inscrição Prévia)
Duração: 40 m


Opus 1 é uma peça músico-teatral dirigida à infância, especialmente concebida para estimular os sentidos e a comunicação dos mais pequeninos. Opus 1 começa com uma brincadeira de comboios e bichos estranhos. Depois vem um furacão que nos leva para uma ilha misteriosa com praias de areia fina, flores coloridas, sereias, leões e piratas. Tudo coisas que acontecem frequentemente quando se brinca com violoncelos.
Esta obra faz parte do Peça a Peça, um ciclo de peças de música-teatral concebido no âmbito do Projecto Opus Tutti para chegar a muitas crianças, através de apresentações em teatros, creches, jardins de infância e outros equipamentos sociais.
Linguagem principal: música (violoncelo, voz) e dança.
Intérpretes: Hugo Fernandes e Alena Dittrichová
Concepção e Produção: Companhia de Música Teatral
Apoio: DGArtes e Fundação Calouste Gulbenkian/Opus Tutti
  Opus Tutti

Opus Tutti é um projecto educativo e artístico que tem como finalidade a criação de boas práticas sociais dirigidas à infância e primeira infância. É uma parceria da Companhia de Música Teatral e do Laboratório de Música e Comunicação na Infância (LAMCI – CESEM) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (UNL). Tem o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.
Auto da Barca do Inferno
Companhia de Teatro Andaime
Estudantes e escolas |Teatro
12 de março| quarta-feira| 15h00 e 16h00 | grande auditório
Entrada: 4 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 2 Euros
M/3
Duração: 70 m

Sinopse:
 Será que a maledicência, o orgulho, a usura, a concupiscência, a venalidade, a petulância, o fundamentalismo, a inveja, a mesquinhez, o falso moralismo cristão… têm entrada direta no Paraíso? Ou terão de passar pelo Purgatório? Ou vão diretamente ao Inferno? E a pé, de pulo ou voo? Aliás, onde fica e como designamos o lugar onde estamos? E que paraíso buscamos? Uma demanda da modernidade sobre o texto Vicentino e o prazer do jogo teatral. Um espetáculo sobre a nossa memória identitária.
Ficha técnica:
Encenação: Fernando Silvestre
Figurinos: Joana Vilaça;
Cenografia: Rodrigo Machado e Paulo Lima

Interpretação: João Amorim; João Teixeira; Rodrigo Machado; Luís Nicolau; Elda Costa; Ana Azevedo; Leonor Matos; Marco Andrade; Luisa Costa; Rafael Carvalho e Diogo Santos

TRALHAS MELÓDICAS

TRALHAS MELÓDICAS
Com José Aguiar e Pedro Moniz e como convidado, o músico/ambientalista, kika.
Performance| música e poesia
8 de março| sábado|22h30 | Café - Concerto
Entrada: 5 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 2.5 Euros
M/3
Duração: 70 m

Com a partilha de ideais metaforizados em atmosferas oriundas do Harém que a música alberga, cujos dois elementos deste projecto “José Aguiar; Pedro Moniz” coabitam nos seus retiros artísticos, musicais, deu-se a natividade deste projeto (Tralhas Melódicas) que tem como objectivo complementar os escapes diversificados, em que a música é composta por uma melodia estruturada em detalhes harmoniosos como também agrestes. Coabitando na perfeição com os rasgos vocais que as palavras expostas obedecem, sendo as mesmas apuradas de poemas alienados ao escape mental tendo como missão superar o complemento da astúcia humana, contraindo desta forma, uma perfeita simbiose de várias tonalidades melódicas, sendo a maior delas impelidas pela guitarra do Pedro Moniz, outras obedecem a um realismo em que por vezes a frontalidade tem contornos estonteantes, mas acima de tudo simples que o José Aguiar contém nestes panoramas alternativos.

Este projecto assiste uma vertente bastante pessoal, direccionada estritamente aos hipotéticos devaneios mentais que qualquer humano comum alberga, expondo práticas que se fundamentam no sentido de olhar com olhos de ver, sentir! Pois não é à toa que enumeras vezes só sentimos quando vemos. É através destes poemas oriundos de um surrealismo natural, sustentado por uma antagónica e usual prática comum a quem faz da vida, um mero carreiro da decência forçada, que estes dois cérebros em causa comungam em sintonia a atitude de se exporem mediante quem ousa os acompanhar, quer com os que partilham os seus mais elaborados raciocínios, quer com os que optam por simplesmente criar analogias perfeitas com quem partilha tais ideais.

Camila - Texto e Direção de Pascal-Emmanuel Luneau

Camila - Estreia
Texto e Direção de Pascal-Emmanuel Luneau
Coprodução do Cão Danado e a Casa das Artes de V.N. Famalicão
Teatro
7 e 8 de março  | sexta-feira e sábado| 21h30 | grande auditório
Entrada: 6 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 3 Euros
M/16 | Duração: 70 m

Camila Montenegro matou. Muito! Demasiado! Só homens! Uns quinze, sem dúvida…
Desde que a detiveram, Camila foi imediatamente enviada para um centro hospitalar penitenciário. Uma equipa de psiquiatras acompanha-a.
Jonas (psiquiatra) e Odília (assistente), não procuram, num primeiro momento, curar as pessoas que são internadas numa zona do hospital de alta segurança. A justiça espera deles, primeiramente, um veredicto.
No que a Camila diz respeito, é simples: estará ou não suficientemente sã de espírito para ser acusada de homicídio e ser julgada?
Camila esquece depressa os seus homicídios. Que importância têm?
Esses homens estão mortos! Prefere falar de sexo, de sedução e relações humanas…
Pascal-Emmanuel Luneau

Equipa Artística
Direção Pascal-Emmanuel Luneau
Autor Pascal-Emmanuel Luneau
Tradução Luísa Mariante
Intérpretes Márcia Lima, Sara Barbosa, Tiago Correia, Rafael Costa
Cenografia Paulo Capelo Cardoso
Assistência de Cenografia Catarina Braga Araújo
Figurinos Sara Barbosa
Vídeo Sara Augusto
Luz Rui Monteiro e Pedro Correia
Produção Pedro Barbosa
Apoios: Q-Better, Absolut Tribute, Sítio do Cano Amarelo, Panmixia

O Cão Danado é uma estrutura financiada por: